6 mitos e verdades sobre a atuação do farmacêutico

Farmacêutico
Compartilhar:
Facebooktwittermail

Quando o assunto é o trabalho do farmacêutico, a maior parte dos jovens associam o profissional apenas às drogarias. 

Caso você também pense assim, vamos contar um segredo: a carreira vai muito além desse ramo.

Apesar de ser muito conhecida por toda população, a atividade do farmacêutico ainda é cercada de mitos. Por isso, resolvemos listar quais são os principais e esclarecê-los.

Continue acompanhando o post para tirar as suas dúvidas. Vamos lá!

Profissão farmacêutico

Se você já pensou em concluir o curso de Farmácia e atuar nessa área, mas tem medo de ficar desempregado, relaxe! 

A boa notícia é que esse é um mercado com grande empregabilidade.

A explicação é simples: quanto maior a população e maior a expectativa de vida, maior será a demanda por farmacêuticos. 

Afinal, o papel desse profissional tem muita importância para manutenção e recuperação da saúde pública.

Esqueça a imagem do farmacêutico apenas atrás do balcão das farmácias. Essa é apenas uma das funções que você poderá ter após a formatura. 

Além dela, é possível trabalhar também com:

  • produção e controle de cosméticos e medicamentos manipulados;
  • estoque e armazenamento de produtos;
  • realização de exames toxicológicos;
  • execução de perícias e fiscalizações de produtos químicos;
  • controle de qualidade;
  • pesquisa científica;
  • Ensino Superior, sendo professor. 

Viu como essa carreira é ampla? Tanta diversidade pode dar a você a possibilidade de conhecer de perto várias áreas. 

Assim, fica mais fácil encontrar uma com a qual você realmente se identifique.

Mitos e verdades sobre a atuação do farmacêutico

Agora você já entendeu um pouco mais sobre o dia a dia do farmacêutico. Chegou a hora de falar a verdade sobre essa profissão.

Entenda de uma vez por todas o que é mito e o que é verdade sobre esse ramo:

1. Qualquer pessoa pode trabalhar como farmacêutico

Mito! 

Para atuar em qualquer uma das atividades que apresentamos acima, o profissional deve concluir o curso de Farmácia. 

Para isso, precisa ser aprovada nas disciplinas, no estágio supervisionado e no Trabalho de Conclusão de Curso. 

Pode parecer muita coisa, mas há um motivo. Tudo isso é muito importante para aprender a teoria e a prática do ramo.

Após terminar a graduação, o universitário deve se registrar no Conselho Regional de Farmácia (CRF). Sem esse cadastro, ele não poderá atuar profissionalmente.

O papel do CRF é fiscalizar o setor, garantindo que todos tenham boas condições de trabalho e atuem eticamente.

Farmacêutico - mercado

2. É preciso continuar estudando depois da faculdade

Verdade! 

A indústria farmacêutica está sempre pesquisando novas fórmulas e compostos químicos. Por isso, é importante sempre ter uma rotina de estudos para se manter atualizado.

O farmacêutico deve buscar conhecimento além do que é ensinado em sala de aula na faculdade. 

Ah, e isso não vale apenas aos conteúdos específicos da área. Quanto mais conhecimento o profissional acumular, melhor.

É muito comum surgirem oportunidades de liderança e gerência na carreira. Por isso, assuntos como marketing, vendas e gestão também devem ser aprendidos.

Entender um pouco desses temas vai turbinar o seu currículo e fazer você se destacar nas entrevistas de emprego. 

Portanto, passe a incluí-los no seu cronograma ainda durante a graduação. 

3. O farmacêutico não precisa se preocupar com a comunicação

Mito! 

Basta pensar na rotina dos profissionais que trabalham em drogarias para entender o porquê disso ser mentira.

O dia a dia é repleto de contato com pacientes e com outros profissionais da área da saúde. Dessa forma, é muito importante se comunicar bem.

Se você é tímido, não se preocupe. É possível desenvolver a habilidade de oratória com alguns cursos e muito treino.

O mais importante é que você aprenda a se fazer entender. Ser claro e traduzir informações técnicas para pessoas comuns é essencial neste ramo.

4. Todo farmacêutico é um bom negociador

Verdade!

À princípio, essa frase pode até ter causado estranhamento em você. Mas, saiba que ela é a mais pura verdade.

Mesmo que essa não seja uma área necessariamente ligada a vendas, a negociação faz parte do dia a dia dela.

O farmacêutico está sempre em contato com fornecedores para negociar melhores condições. Além disso, busca fazer parcerias com outras pessoas a fim de aumentar a lucratividade do negócio.

Sem falar que deve ter um bom poder de argumentação para conversar com os pacientes. 

Afinal, é comum que eles queiram alternativas para a sua medicação ou até que tenham dúvidas sobre o uso delas.

Ser um bom negociador é também convencer as pessoas das suas ideias e encontrar uma solução boa para todos.

5. É preciso saber trabalhar em grupo

Verdade! 

Já falamos aqui que boa parte do trabalho do farmacêutico é desenvolvido como apoio a outros profissionais. Isso acontece, principalmente, com médicos e enfermeiros.

Para entender melhor, imagine que o trabalho desse profissional em uma unidade básica de saúde. Provavelmente, ele atuará na farmácia popular, distribuindo remédios para a população.

Ele precisará contar com a prescrição médica e com o apoio do enfermeiro para ministrar o medicamento para o paciente.

Em algumas situações mais específicas, outros profissionais como nutricionistas e psicólogos também podem ser envolvidos.

Neste simples exemplo, já deu para perceber que esses contatos são mesmo rotineiros, né!? 

Portanto, o farmacêutico deve encontrar maneiras de cooperar para que tudo corra bem.

Quanto mais integrados todos estiverem, melhor serão os resultados do tratamento dos pacientes.

6. O curso de Farmácia inclui apenas disciplinas de Ciências Biológicas

Mito!


Talvez esse seja um dos maiores mitos sobre a graduação de Farmácia. Muitas pessoas ficam surpresas ao saber que isso não é verdade.

Apesar de as matérias de Ciências Biológicas serem maioria na grade curricular deste curso, há muito mais do que isso. 

Ao longo da formação, o aluno também terá contato com conteúdos de Ciências Humanas e Ciências Exatas. Portanto, é preciso ter pelo menos um conhecimento básico sobre essas outras disciplinas.

A faculdade de Farmácia tem duração média de 5 anos. As matérias mais específicas, focadas em Química e Biologia, normalmente se concentram nos últimos semestres.

Já imaginou ser um farmacêutico?

Viu como há diversos mitos e verdades na vida do farmacêutico? 

Saber diferenciá-los vai ajudar você a entender melhor o que esperar sobre a profissão.

Quanto mais informações você tiver, mais consciente será a sua escolha de carreira!

Quer receber mais dicas sobre o mercado de trabalho? Siga a Fama nas redes sociais: Instagram e Facebook.

Compartilhar:
Facebooktwittermail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *